Séries Addict

Desperate Housewives – 5×11 – Home Is the Place

Posted on: janeiro 10, 2009

Eu não sei o quê há de errado entre DH e eu. Eu gostei do episódio; o achei relativamente bem escrito, e os roteiristas parecem ter recuperado seu conhecimento em como fazer um malabarismo com todos os muitos personagens que tem em mãos; as atuações foram corretíssimas e Eva Longoria cada vez mais se confirma como o grande nome dessa temporada; mas eu passei quatro dias tentando, e não conseguindo, escrever sobre esse episódio. Se eu tiver que adivinhar qual é a causa do meu bloqueio, eu vou chutar que é o fato de que apesar da série estar boa e tecnicamente ter voltado a um certo grau de excelência, ela simplesmente não me excita mais. E é frustrante para mim admitir, mas acho que a série se tornou esquecível e irrelevante.
Home Is the Place é um bom episódio. Ele equilibra bem a comédia com o drama. De um lado temos Bree tentando se entender com a futura sogra, e para isso dando de presente uma super casa para Andrew e Alex para impedir que eles se mudem para outra cidade (e Bree sempre tem falas ótimas, não importando o quê coloquem ela para fazer) e Lee e Susan passando tempo juntos e se tornando amigos, e eu sempre fico contente com cada mero segundo de tela que Kevin Rahm recebe.
Do outro, temos ainda o drama dos Scavos, com Porter desaparecido e o Bob descobrindo que Preston é quem está no lugar dele. E quem está dando asilo para Porter é ninguém menos que a mãe de Lynette! A situação da família está cada vez mais complicada e Lynette cada vez mais desesperada. Ela não consegue provar aos filhos que pode e ela provavelmente não vai conseguir proteger todo mundo das consequências que estão por vir, e sabe disso. A atuação de Huffman aqui foi excelente, ela passou muito bem a sensação de estar perdendo o controle e não conseguir sair do poço em que caiu.
Tivemos Gaby lidando com Carlos e sua recuperação. Agora que voltou a visão, Carlos voltou a dar mais valor a vida e decidiu pedir demissão do emprego de massagista do clube e se tornar voluntário no centro para cegos. Eu acho tudo muito nobre e concordo que é legal ele passar a dar mais valor à vida, ao mundo, às coisas, mas fico do lado da Gaby. Ela passou cinco anos se virando, vendendo tudo de valor naquela casa para sustentar eles e as duas filhas (e isso com ele trabalhando e ganhando um salário!), ele deixa de ser deficiente e resolve ir trabalhar de graça? As filhas dele vão viver de quê, ar? Ele tem que saber que não é o primeiro pai que deixa de lado suas vontades e aspirações morais para poder sustentar a própria família. Não deve ser fácil, mas as crianças não nasceram do nada, não é?
Ainda houve Edie expulsando Dave de casa e Karen retornando a Wisteria Lane. Eu sei que já era hora de Edie se dar conta de que há algo de muito errado com o marido, mas ficou parecendo que ela expulsou ele só porquê ele não contou que era casado. Eu achei um pouco de exagero. Não dava para os dois conversarem?
De qualquer forma, eu vou continuar acompanhando Desperate e vou torcer para conseguir ficar um pouco mais animada.

Anúncios

7 Respostas to "Desperate Housewives – 5×11 – Home Is the Place"

Como eu disse no meu review, a série melhor muito após o incêndio e esse episódio estava muito bom, até que em algum momento (que eu desconfio que seja na história de Teri Hatcher) a trama de perdeu e episódio se tornou plástico, foi como se tivessem pulado um parte, sei lá, uma coisa que não da para ser percebida.

E também acho que Desperate perdeu seu encanto, isso desde a season finale da 3ª temporada. Eu ainda amo essa série, mas eu não sou cego.

Ainda acho Desperate Housewives uma das melhores séries no ar, e mesmo após tanta coisinha chata e sem sentido (e após essa coisa toda com Lynette) ainda é a série que eu fico mais ansioso em ver (mas provavelmente United States of Tara vai substitui-la). Esse episódio foi bom, mas não ótimo. Gaby e Carlos são, de longe, a melhor coisa que está acontecendo na temporada.

A história com o Dave não foi legal e não foi bem desenvolida, aliás, foi feita exclusivamente para chamar audiência e para isso não funcionou. Please Dave, GO AWAY.

Pra mim, Desperate não consegue mais o brilho que teve a primeira temporada, que diga-se de passagem, foi excelente a cada episódio.
Mas como é uma das minhas séries favoritas, vou acompanhando mesmo que no fundo do poço.
Me recuso a desistir dela, porque já me divertiu por um bom tempo. Não que ela esteja ruim, mas já não é mais a mesma.
(E eu sinto falta da abertura da série =/)

Eu estou adorando essa temporada… Se eles realmente quiserem, o aproveitamento desses 5 anos pode dar muitas histórias para contar…
E para Thiago aí em cima: eu gosto mais com essa abertura rápida… Sei lá, é mais estilosa.

Concordo que a Eva é o grande destaque dessa temporada. Ela tem me surpreendido a cada dia. Desperate caiu muito desde o começo, principalmente na quarta temporada, mas eu até que estou gostando dessa. Só acho q a trama de Bree precisa de um up, algo como nos velhos tempos de Rex e o farmaceutico.
Vamos ver o que rola.

Thais., nossa eu ate gostei do episódio, mas tipoo nao achei taoo bom assim nao, a temporada ja teve melhores sinceramentee!

Eu já achei esse um dos piores episodios de toda a série…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Comentários

luiz augusto em The Day of the Triffids
karina em Much I Do About Nothing…
andreia em Eles estão voltando…

Blog Stats

  • 172,325 hits

Todas as atualizações do seu blog favorito

Me Adicione no Technorati

Add to Technorati Favorites
%d blogueiros gostam disto: