Séries Addict

Lost – 5×01 e 5×02 – Because You Left e The Lie

Posted on: janeiro 23, 2009

Lost está de volta, e novamente a série se reinventa. A estrutura narrativa mudou, e o foco agora é o tempo. Viagens no tempo mais precisamente. Mas nem tudo está diferente e a temporada começa exatamente como a segunda e a terceira, com um personagem desconhecido colocando um vinil para tocar, e fazendo coisas rotineiras enquanto a música toca. E se antes fomos apresentados a dois personagens que viriam a figurar entre os melhores da série, Desmond e Juliet, aqui vemos alguém já familiar, o Dr. Chang (ou Marvin Candle, que é o nome dele que eu sempre recordo). Contudo, o flashback não é menos revelador em nada.
Quem poderia imaginar que Marvin Candle era um pacato morador da Vila Dharma (no futuro Vila dos Outros), que tinha esposa e filho? Eu nem achava que ele estivesse na Ilha! E o quê dizer sobre a descoberta da roda que moveu a Ilha durante a construção da Estação Orquídea? Ou sobre a presença de Faraday no local? Eu não sou a primeira a dizer, e provavelmente essa frase se tornará um clichê esse ano, mas o personagem principal de Lost se tornou a Ilha. Ainda assim, o quê mais me interessa em Lost ainda são as pessoas, as reações humanas frente ao difícil, ao improvável e ao impossível. Os mecanismos de superação de cada um e suas maneira de se relacionar com os outros e com o mundo a sua volta em tempos de crise.
Eu estava muito interessada em tudo o quê Faraday tinha a dizer sobre as viagens no tempo que o grupo aparentemente estava realizando. Fiquei curiosa em entender porquê os Outros não estavam sofrendo os mesmos efeitos. Afinal, não pode ser algo relacionado à queda do avião, porquê Charlotte, Miles e Daniel não estavam nele, e não parece ser relacionado ao tempo que cada um está na Ilha, porquê Juliet está lá há anos. E também não parece ser uma questão geográfica. Então qual é o fator que faz com que os Losties fiquem presos no loop da Ilha, e os demais não?

Porém melhor que pensar essa questão, é ver Locke, Sawyer, Juliet e os demais tentando lidar com a incerteza, a instabilidade, a falta de segurança, a impossibilidade de se segurar ao comforto de algo rotineiro e constante. Enquanto Sawyer se revolta e e fica frustrado, Juliet facilmente desliza para dentro do papel que era então de Jack (com direito a altruísmo estúpido e tudo) como a líder calma e diplomática e John se apega ao único objeto que sempre lhe faz sentir forte e no controle, sua faca, apesar de Richard encontrar-lhe e lhe dar uma bússola que muito provavelmente era o objeto que Locke deveria ter escolhido quando criança ao invés da arma. E Faraday, que continua misteriosamente racionando a informação, tem um momento de desespero inspirado e pede ajuda de Desmond, no quê se torna uma memória com a qual o Brotha imediatamente sonha (um dos momentos mais inspirados dessa premiere, na minha opinião).
Fora da Ilha, Hurley e Sayid tem destaque enquanto tentam fugir, mas não conseguem. Seus caminhos acabam cruzando com os de Jack e do sempre manipulador Ben, que parece ter todo tipo de contatos e cúmplices fora da Ilha. E Kate é forçada novamente a fugir quando é confrontada com um mandado para um teste de DNA de Aaron. Mas é Sun quem mais chamou minha atenção. Apesar de aparecer pouco, a Coreana me deixou com a pulga atrás da orelha. Algo me diz que não podemos mais confiar nela e em seu bom caráter, e que seja seu objetivo vingança ou outra ainda obscuro, ela será capaz de fazer qualquer coisa para alcançá-lo. Acho inclusive que ela pode ser responsável pelos advogados que foram atrás de Kate e até mesmo pelos homens que tentaram raptar Sayid. É claro, Ben também é um suspeito natural de todas essas ações.

Eu também gosto muito do desenvolvimento do personagem de Jorge Garcia fora da Ilha e aqui não foi diferente. Dessa vez, ele viu a Anna Lucia. E eu fico me perguntando o tempo todo o quê pode estar acontecendo com o Dude para ele estar vendo gente morta. Será que é uma variação do que ocorre com Miles?
E voltando ao pedido de socorro de Faraday a Desmond, o físico pede ao escocês para encontrar sua mãe. Bom, eu, como o resto do mundo, pensei imediatamente em Miss Hawking. E não é que nada por acaso ela aparece no final, e descobrimos que a misteriosa senhora do viagem ao passado de Desmond em Flashes Before Your Eyes também é uma alida de Benjamin Linus?
Essa pode até não ter sido minha premiere de Lost favorita (na verdade, seria até a que eu menos gostei, junto com The Beginning of the End), mas não deixa de ser um bom episódio e um que me deixou infinitamente ansiosa pelo o quê pode estar por vir. E a mudança de estrutura da série pode até mesmo significar que não precisaremos de Flashbacks para rever conhecidos como Danielle (os produtores não sempre disseram que veríamos o passado dela, mas não em um flashback, ou algo assim?). Fico pensando na possibilidade da Rousseau do passado se encontrar com Locke, Sawyer e Juliet e fico salivando, seria o máximo eles verem ao vivo como a equipe dela realmente morreu e como ela sobreviveu tantos anos na Ilha sozinha. Além dessa óbvia possibilidades, o novo modo da trama ser contada abre a porta para muitas, muits coisas interessantes acontecerem. E eu mal posso esperar.

8 Respostas to "Lost – 5×01 e 5×02 – Because You Left e The Lie"

“Richard encontrar-lhe e lhe dar uma bússola que muito provavelmente era o objeto que Locke deveria ter escolhido quando criança ao invés da arma”

Putz Thais, nem pensei isso. Mas é muito coerente.

Também acho que Locke e trupe irão ver a Rosseaou atraves de uma viagem.

Lendo seu review eu até parei para pensar e vi que o episódio não foi tão ruim quanto eu pintava.

A Sun, pra mim, é a personagem que mais mudou. Sério. Eu revi as quatro temporadas antes da quinta e iniciar e quem poderia imaginar que ela se tornaria uma pessoa manipuladora como agora? O diálogo entra ela e Kate também mostrou um outro lado, quando ela a confronta pelo estilo de vida que leva levando em conta o passado de Kate. Assustador!

Eu adorei o episódio. Adoro essa coisa de espaço/tempo. Aquele episódio The Constant é um dos que eu mais gosto. Eu gosto do tema mas quando ele é tratado com segurança e inteligência, não algo como Heroes tem feito. Em Lost percebe-se que poderá existir uma explicação, mesmo porque, a Orquídea, desde a sua construção, sofria de problemas de instablidade.

Nossa, é muita coisa pra pensar aiuhaiuahiua O subconsciente de Hurley foi pensar em Ana-Lucia, meu deus.

Eu sempre achei que a série é sobre a ilha. Tudo acontece por causa dela e para ela.

Ben e Widmore brigam pela posse mas a ilha é que possui os dois e faz deles o que quiser.

Agora, essa ideia de pulo no tempo deve ser o começo das respostas. E uma ótima fonte de ligação com os mortos. Enfim, eles não serão fantasmas. Eles estarão vivos, só que em outro tempo.

Já comentamos que realmente “Lost” deixa um pouco a deseja em sua season premiere (à exceção de “A Tale of Two Cities” e, claro, do piloto) e aqui não foi diferente. Também achei a mais fraca (relativamente) de toda a série ao lado da estréia da temporada passada. Ainda não sei até que ponto essa história de viagem no tempo irá funcionar, na verdade eu fiquei um tanto confuso em meio a tudo aquilo. Abraço!

Acho que a chave pra restaurar o equilibrio no tempo/espaço é a volta dos Oceanic 6 pra Ilha, lugar que eles não deveriam ter deixado, e o causador de todos esses eventos.

O lance de conservar o corpo do Locke pode ser pra ressucitar ele na Ilha, já que ela tem poderes e Locke é um “escolhido” dela.

Melhor parte foi o resumão de toda a história que o Hurley fez pra mãe dele, e ela dizendo que não entendeu nada mas que acreditava nele. Nós também Hurley, nós também!

Thata,

eu achei esse inicio de temporada a melhor da série, ou melhor dizendo, tão boa quanto o piloto.
eu vi a discussão no teleséries e algo me chamou a atenção
alguns criticando que a série virou “fantasia”
por fantasia, vou entender que essas pessoas estão reclamando do Sci-fi
e a questão é que a série sempre foi
como alguém lá no teleséries disse, no piloto temos um bichio que arranca arvores, que pensaram até q pudesse ser dinossauros, entao, claro que soa estranho vermos a série abraçando de fato o sci-fi, mas isso pra mim só mostra o quanto essa série é surpreendente, e o mais surpreendente disso é que a série nao deixou de trabalhar aquilo que a torna diferente das demais sci-fi da atualidade(com exceção de BSG), que é o fato de se importar e dá muita ênfase ao lado humano. aquele desabafo de Hurley, interessante que quando ele disse deu pra ter ideia que sempre foi uma “fantasia”, mas estavamos tao preocupados com Sawyer, Juliet, e vai la, Jack, Kate, e os demais, que nao nos damos conta de todos os absurdos que ja aconteceram com ele, e Hurley contando, e o desespero dele por nao entender porque aquilo tudo aconteceu, e ao mesmo tempo querendo conforto, sensacional.

e sim, Sun se tornou uma grata surpresa, alias, pelo visto teremos embate dos bons vindo pela frente, sun contra Sayd, será? apesar de que sayd falou aquilo a respeito de Ben pra Hurley, mas ate onde lembro Sun sabe lutar, e mesmo que nao saiba, esta disposta a se vingar de Ben, e sayd de Widmore e no meio disso tudo está Penelope.

e Des, alias, mais uma prova do quanto Lost é interessante, Ben entrou na segunda temporada, Juliet na terceira, Faraday e Miles na quarta, e ao contrario de outras séries, eles ficaram e se mostram relevantes pra trama. ok, Miles e Juliet por enquanto nao, Juliet parece um pouco perdida na trama, mas ao mesmo tempo lembramos que ela é a obsessão(constant?) de Ben e parece muito com alguem que já morou na ilha.

a mesma coisa pra Chalote, tudo leva crer que ela nasceu na ilha, talvez tenha sido a unica criança nascida lá, e é a unica que ta passando mal com os pulos

sobre os outros thata, acho q vc se enganou, pelo que pareceu, apenas Richard nao está dando saltos, Ethan do passado apareceu, os outros nao sabemos o que aconteceu.

e vc nem mencionou quando Jack perguntou se Loocke está morto, e ele nao responde

alias, Ben Linus, que personagem

o grande problema de Lost e Battlestar galactica é o fato que as duas séries são complexas ao extremos, e os roteiristas ousam, o que é louvavel, principalmente pra Lost que é canal aberto, mas inevitavelmente, o resultado final vai interferir na qualidade da série no futuro, tati citou o fato de que Alias era sensacional, e parece que bagunçaram com a série nas ultimas temporadas. esse episodio me faz acreditar que os produtores de Lost tem tudo sobre controle, e espero realmente, q pelo marasmo que temos na tv americana, que Lost e BSG terminem sendo as melhores series da decada, talvez assim alguns “pensadores” resolvam ousar.

É, eu vi o comentário da Tati sobre Alias e é verdade. Aliás, são duas séries sci-fi que foram me levando por toda a maluqice delas por temporadas e chegou no final deram um “jump the shark” que não dava para ninguém engolir: Alias e The Pretender. Espero que Lost tenha um final aceitável.

Seu palpite sobre a Juliet é totalmente brilhante! Seja lá quem é a mulher que é identica a ela, o Ben pode vir a usar as semelhanças entre elas para usar Juliet como a constante dele.

Nem prestei atenção direito naquele momento em que o Jack pergunta se o Locke está mesmo morto, mas acho que todo mundo além de mim prestou. Eu acho que Locke está realmente morto, no nosso mundo. Mas agente sabe que estar morto na Ilha é algo totalmente diferente. Acho que Locke pode ressucitar ou algo do gênero quando chegar a Ilha, tipo Christian Shepard.

Sobre os Outros sumirem. Bom, o Locke estava com um grupo deles, e então só ele viajou pro passado. Quando o Richard o encontra, ele diz que os Outros não sumiram, foi o John que sumiu. O quê para mim significa que nenhum dos Outros viajou no tempo com Locke, Sawyer, Juliet e os demais Losties. O Ethan não está viajando no tempo, ele simplesmente apareceu porquê na época para a qual o John pulou ele ainda não estava morto.

Eu gostei bastante dos dois eps. Eu fiquei surpreso com a decisão da série de retirar os flashbacks/foward nessa premiere e adorei o resultado, o ep. fluiu muito bem e é bom de vez em quando mudar o esquema da série.

A única coisa que me incomodou foram as partes daqueles que ficaram na ilha, em particular aquele Faraday que eu não consigo suportar.

Abs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Comentários

luiz augusto em The Day of the Triffids
karina em Much I Do About Nothing…
andreia em Eles estão voltando…

Blog Stats

  • 169,073 hits

Todas as atualizações do seu blog favorito

Me Adicione no Technorati

Add to Technorati Favorites
%d blogueiros gostam disto: