Séries Addict

Trust Me – 1×02 – All Hell the Victors e 1×03 – But Wait, There’s More

Posted on: fevereiro 11, 2009

Quando eu assisti o piloto de Trust Me, eu concluí que havia uma grande possibilidade de que os escritores fossem se prender àquela forma de episódios. Os publicitários recebem uma grande conta, há problemas com a grande conta, eles inventam algo genial e ganham a grande conta. Mas eles me surpreenderam com a capacidade de pensar além e tentar outras coisas.
Sim, em All Hell the Victors eles ainda estão envolvidos com toda a coisa da campanha do celular e é claro, há um novo problema na conta. Mas então Mason resolve isso rapidamente e a questão central da storyline passa a ser como não ser acusado de plágio por ter usado uma resolução presente no Portfolio de um candidato a emprego.
Já em But Wait, There’s More, eles conseguem fugir completamente disso. Os problemas são dois, a falta de prêmios já que apenas Stu Hoffman os vencia e o Cochran (o imbecil do piloto que é chefe da outra agência da empresa) cortejando Sarah para ir trabalhar com ele. Eu realmente gostei de como as situações se desenvolvem em ambos os episódios. Das soluções buscadas e de como elas nunca saem como planejado. Mas o quê eu curto mesmo em Trust Me são os personagens.
A cada episódio que assisto eu gosto mais e mais do trio Mason, Conner e Sarah. A dinâmica entre os dois primeiros é incrível, e Sarah é excelente como a forasteira esquisita que é ignorada e diminuída por todo mundo, e sabe disso. Monica Potter está conseguindo fazer uma composição diferente do que ela faz, mas de maneira sutil e eu estou gostando muito do trabalho dela. Eric McCormack também continua ótimo, mas a estrela da série é mesmo Tom Cavanagh. Conner é infantil, narcisista e às vezes parece ter déficit de atenção. Ele poderia ser irritante, mas suas características são divertidas e equilibram perfeitamente o sempre tenso e preocupado Mason.

E ainda fomos apresentados a Erin, a esposa de Mason. Assim como Conner, ela faz um bom contra-ponto com a atitude mais séria do marido sendo brincalhona e tendo um tom mais leve e feliz. Sarah Clarke está ótima apesar de nem de longe ter um texto tão bom quando o dos três protagonistas. Falta a ela algo que a torne marcante como os outros. E finalmente é revelado o rosto de Denise, interpretada por Donna Murphy. Eu adoro a atriz e acho que ela tem aquele ar natural de autoridade. Mas o problema é o mesmo da personagem Erin. Não há nada nela que chame atenção, que a torne particularmente memorável.
Trust Me vai depender dos episódios que vêm adiante para realmente pegar, mas no balanço geral do quê vi até agora, ela tem tudo para ser uma das estréias mais bacanas da temporada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Comentários

luiz augusto em The Day of the Triffids
karina em Much I Do About Nothing…
andreia em Eles estão voltando…

Blog Stats

  • 172,325 hits

Todas as atualizações do seu blog favorito

Me Adicione no Technorati

Add to Technorati Favorites
%d blogueiros gostam disto: