Séries Addict

Criminal Minds – 4×14 – Cold Comfort

Posted on: fevereiro 15, 2009

Depois de um comentário de um colega a quem eu apresentei Criminal Minds no Twitter, eu pela primeira vez assisti à série prestando atenção na trilha sonora. E é mesmo um trabalho estupendo no qual eu nunca tinha reparado antes. Aliás, eu estou sempre tão envolvida com os acontecimentos na minha frente, que muitas vezes eu esqueço de parar e apreciar as qualidades técnicas que fazem parte da identidade de Criminal Minds. A fotografia, a maquiagem, a direção de arte e a edição também são parte crucial do sucesso da série, e muitas vezes passam despercebidos. Em Cold Comfort todos esses elementos se apresentam como uma grande sinfonia, compondo um painel harmonioso e belo.
O roteiro, a parte técnica que recebe mais consideração e atenção, é o grande maestro. E um que eu aplaudiria de pé. Assim como Bloodline, sua estória trás várias camadas, vários assuntos, e eu poderia passar o resto da minha vida dissecando-os. O crime é o seqüestro e assassinato por embalsamamento de três mulheres, sendo que uma quarta ainda está viva no cativeiro e na corrida para salvá-la, a BAU precisa disputar espaço com um médium que acaba se tornando um pomo da discórdia.
Foi uma batalha entre ceticismo e fé, e os protagonistas e oponentes acabaram sendo Rossi e JJ. Cada um teve seus motivos e suas justificativas, e acho que cada um acertou de uma maneira ou outra, mas ao mesmo tempo ambos cometeram erros e se deixaram levar pelos seus lados emocionais.
JJ já está deixando seu lado materno falar mais alto. Apesar de ser uma evolução normal para uma personagem que acaba de dar a luz, eu concordo com Rossi que ela precisa acreditar no trabalho deles se quiser fazer o trabalho dela adequadamente. Se toda a fé dela não estiver na habilidade deles, as das pessoas a quem ela deve convencer, especialmente durante as coletivas de imprensa, também não estará.
E apesar de eu ficar do lado do Rossi em relação ao vidente, ele também pecou. Sua história trágica com outro vidente interferiu em sua maneira em lidar com as pessoas e ele passou o caso inteiro irritável e frustrado, respondendo de maneira rude aos comentários e situações que lhe desagradavam, e sendo um tanto quanto cruel com a mãe desesperada da vítima.
O episódio também fala de necrofilia. Eu acho que não é a primeira vez que Criminal Minds aborda o assunto, mas dessa vez eles usaram a mesma construção que em The Instincts. Antes de chegarem ao Unsub, eles encontram um criminoso similar e o interrogam, aprofundam um pouco o assunto e mostram que dentro de uma mesma doença existem vários criminosos que agem de maneiras distintas.
E a estória da família Gless e do assassino, Roderick, foi muito bem montada. O trauma na infância, os pais ausentes. A mãe austera e distante, interpretada por Cybill Shepherd é substituída pela figura da babá, que morta, se torna a obsessão do garoto pelo resto da vida. O pai culpado financia sem saber as condições para o filho manter as mulheres em cativeiro e embalsamá-las. E a vítima, Brooke Lombardini, ao final de seu cárcere dá sinais de não se lembrar do próprio nome, um sinal de quê apesar de salvá-la, a BAU pode ter chegado um pouco tarde demais. Tarde o suficiente para a lavagem cerebral de Roderick funcionar e Brooke se convencer que é na verdade Abigail. Pena que foi tudo muito rápido e sutil, já que eu acho que eles nunca exploraram a questão do surgimento de personalidades dissociativas em uma vítima devido ao trauma.
Para mim, Cold Comfort é um dos três melhores episódios dessa temporada, superando o anterior Bloodline (que ainda assim não deixa de ser genial). Mas essa quarta temporada está atingindo um grau tão alto de excelência, que eu sei que é provável que essa minha lista dos três melhores ainda mude muito até seu final. E que uma lista de dez melhores ou até mesmo doze melhores acabe sendo totalmente composta de episódios memoráveis.

Anúncios

2 Respostas to "Criminal Minds – 4×14 – Cold Comfort"

Realmente, episódio muito bom. E não acredito que você nunca tenha reparado “de verdade” na trilha sonora da série.

Não sei se você esqueceu de mecionar ou simplesmente não se importou muito com isso, mas a cena de Garcia, Morgan, Kevin, Prentiss e Reid na cozinha lendo horóscopo foi hilária…

Estou lendo suas críticas há um tempo e adoro a forma como você aborda minhas séries preferidas…criminal minds é uma delas.
Também sempre prestei atenção demais na trama e esqueci a trilha…na próxima vou me atentar mais a isso…
Poucas pessoas no Brasil gostam de criminal minds…mas eu adoro e essa temporada está muito boa mesmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Comentários

luiz augusto em The Day of the Triffids
karina em Much I Do About Nothing…
andreia em Eles estão voltando…

Blog Stats

  • 172,394 hits

Todas as atualizações do seu blog favorito

Me Adicione no Technorati

Add to Technorati Favorites
%d blogueiros gostam disto: