Séries Addict

Archive for the ‘America’s Next Top Model’ Category

Os go-see são uma parte clássica da competição. Sempre acontecem na segunda fase do programa, já em outro país (o que eu não sei se é a estratégia mais esperta, já que é pouco provável que as meninas sejam de fato chamadas para o casting da próxima coleção dos designers) e é não apenas o melhor desafio de todo o programa, mas o que faz mais sentido. Eu sempre acho que o programa passa tempo demais tentando ensinar as meninas a ser modelos, e tempo de menos ensinando-as a se inserir de maneira eficiente no mercado, a conseguir trabalhos.
No go-see brasileiro as meninas se apresentaram perante alguns dos mais conceituados designers do Brasil atualmente: Oskar Metsavaht da Osklen, Chris Barros da Chris Barros, Clo Orozco da Huis Clos, Adriana Bozon da Ellus e Adriana Degreas da Adriana Degreas. Foi tudo de muito bom gosto e apresentou a moda brasileira de uma maneira bem profissional e inteligente, algo que havia faltado no episódio passado. A Chris Barros, que também foi jurada, mostrou-se especialmente carismática, muito mais que Fernanda Motta e foi uma escolha muito mais agradável para jurada convidada.
Teyona ganhou o desafio, pois conseguiu ser aprovada em todos os go-sees que realizou. Realmente a Teyona é ótima modelo, e a essa altura acho que ela é a mais forte candidata a vitória, porém apesar de ela ter se saído muito bem nos testes eu achei que ela pecou um pouco pela burrice com a atitude de sair de um lugar toda vez que havia uma menina lá. Com o trânsito caótico que elas pegaram, acho que ela gastaria menos tempo esperando. Além disso, correu o risco de um dos desginers vê-la entrando e saindo, e isso poderia pegar mal. No photoshoot ela também se saiu muito bem e foi escolhida como a melhor foto, algo do qual eu discordei.
Na minha opinião, a Allison merecia ser escolhida de novo. Eu nunca a vi tão bem em uma sessão, nem mesmo na anterior. É incrível como ela parece outra modelo desde que chegou a São Paulo. O problema é que o andar dela continua péssimo, e mesmo que consiga chegar a final assim, não vejo como ela poderia ganhar com a prova final sendo justamente o desfile. A cara do Oskar quando ela desfilou para ele foi impagável.
A Aminat também se saiu muito bem, como era de se esperar, já que de fato ela é a melhor modelo de passarela do programa. Aliás, ela é a única com chance real para modelo de passarela quando isso acabar, na minha opinião. Mas ela continua fotografando pessimamente. É uma pena, porquê eu sempre achei ela a modelo que tinha mais potencial na competição.
A Celia foi desclassificada do desafio e se saiu ainda pior na sessão. Eu achei a desclassificação dela um pouco exagerada, porquê apesar do tempo ser sempre o grande fator nesse desafio, ela só estava um minuto atrasada. Isso sequer é suficiente para a pessoa esperando começar a olhar o relógio. Especialmente porquê ela já estava no prédio. Se eu fosse ela dizia que o relógio dela estava 2 minutos atrasado.
Por último, Fo, a eliminada da semana. Ela realmente mereceu sair. Eu gostava tanto da Fo no começo, mas ela se tornou uma chata invejosa e reclamona. E foi um desastre em ambas as tarefas. Sua foto era horrorosa, e ela era baixa demais para conseguir aprovação nos go-see, o quê obviamente significa que ela não teve carisma e força o suficiente para fazer os designers gostaram dela o suficiente para ignorarem o fato de ela ser mais baixa que o normal. Eliminação justa.

Quando séries ou realities shows vem para o Brasil, é sempre complicado. Por mais que eu goste do show, dificilmente eu aprovo a abordagem. Eles geralmente tentam fazer um pacote com todos os atributos mais conhecidos de nosso país, e exageram totalmente nos estereótipos. E America’s Next Top Model não foi exceção. Favela, Carmen Miranda, capoeira e até Helô Pinheiro e a música “Garota de Ipanema” foram todos abordados de cara, e ainda teve a pobre menina de classe média alta americana procurando pelo Oceano da janela do hotel localizado no meio da cidade de São Paulo. É impossível não ficar incomodado, principalmente por causa da diversidade de life-styles que torna impossível para alguns de nós (eu por exemplo) se reconhecer dentro desses clichês.
Porém, também não dá para ser muito dura com eles. Na Espanha eles vestiram as meninas de toureiras e fotografaram em uma arena, na África elas tiveram que se vestir de animais, e na Tailândia, fotografaram com um elefante. E essas são só sessões de fotos que eu consegui lembrar de cabeça, de ciclos que assisti (eu não vi todos). O show sempre trabalha com estereótipos, provavelmente porquê se eles não o fizessem, não teria muito sentido em se deslocar para outros países. Não é que as cidades não teriam nada a oferecer, mas até mesmo por questões de experiência televisiva para os espectadores, não seria tão legal mostrar São Paulo como uma cidade cosmopolita, moderna e não tão distante do que Nova York é (é claro que são cidades diferentes, mas dependendo das atividades escolhidas, poderiam terminar por serem semelhantes demais). Eles precisam criar esse tipo de identidade única, precisam mostrar aquilo que só é preciso encontrar aqui e em nenhum outro espaço do globo, e por isso tivemos a capoeira, o samba (talvez o elemento mais desnecessário, competindo de perto com a banda no Jardim Botânico tocando Garota de Ipanema), as favelas, as cores fortes e a chatinha da Fernanda Motta.
Mas pelo menos a equipe do Jay veio toda junto. Eu não lembrava do Jay ter uma equipe fixa antigamente, mas é óbvio que ele está trabalhando com as mesmas pessoas, o quê para mim é ótimo porque eu realmente amo o maquiador da equipe. Ele é super engraçado e até que fez um trabalho bem decente explicando para as garotas quem era Carmem Miranda.
O photoshoot foi ruim, mas foi bom. Pelo menos a minha favorita Allison foi super bem nele, e acabou sendo escolhida como a melhor foto. A Celia, de quem eu também gosto muito apesar da besteira que ela fez há alguns episódios atrás, teve uma foto péssima, mas eu acho que eles escolheram muito mal. Ela não foi brilhante, mas não é possível que ela não tivesse uma foto melhorzinha. A Natalie acabou saindo, apesar da Aminat ter conseguido ser mais medíocre que ela.  Deveria ter aprendido, além do fato de que São Paulo não fica no litoral, que jogar a culpa de uma foto ruim no fotógrafo ou no Jay é ainda pior que falar mal da coleguinha, é carimbar o passaporte de volta para casa na hora. Quem será que ganha? Eu adoro assistir o programa, mas sempre acho o resultado final injusto (ainda não superei a CariDee ganhando da Melrose no ciclo 7), mas isso é irrelevante, porquê eu nunca vi uma vencedora (ou uma finalista tampouco) virar uma super modelo.


Categorias

Comentários

luiz augusto em The Day of the Triffids
karina em Much I Do About Nothing…
andreia em Eles estão voltando…

Blog Stats

  • 173,234 hits

Todas as atualizações do seu blog favorito

Me Adicione no Technorati

Add to Technorati Favorites