Séries Addict

Archive for the ‘Standoff’ Category

Standoff

No último episódio de Standoff sobre o qual comentei, Matt tinha dito a Emily que a amava. Agora, três episódios depois, foi a vez de Emily confessar seus sentimentos. E essa confissão aconteceu no episódio que trouxe de volta toda a fofura do casal, o décimo quinto, Lie to me. Mas antes eu vou falar um pouco dos dois episódios anteriores, já exibidos pela FOX.
Em Backfire, Emily tem que lidar com uma crise em um trem sozinha, enquanto Matt tem que negociar com um esquizofrênico que é meio que um HT regular. A idéia de se ter que negociar com alguém regularmente é até interessante, mas o episódio não foi dos melhores. Colocar dois casos acontecendo separadamente e principalmente, Matt e Emily separados, mesmo que não pelo episódio inteiro, comprometeu o ritmo. Ambos os plots ficaram superficiais, o encerramento do caso de Emily foi fraco e a reviravolta no caso de Matt ficou parecendo com algo saído daqueles filmes de conspiração. Fica claro aqui que a química entre DeWitt e Linvingston é o que os faz brilhar e afastados eles não funcionaram tão bem. Matt e Emily Standoff
Em Road Trip temos um plot mais interessante, mas eu acho que os roteiristas se acovardaram ao apelar para uma bomba como motivo para os negociadores terem que impedir o seqüestrador. A estória em si tinha muito potencial para discussão, e foi mal aproveitada, assim como a dinâmica entre Matt e Emily foi mal aproveitada novamente. A questão é, a família de Mórmons realmente seqüestrou a menina, mas e as outras esposas? Todas obviamente se casaram porquê queriam, mas ao mesmo tempo porquê acreditavam que o marido as levaria para o Paraíso, e a manipulação dele levou uma das quatro esposas a ser morta, então, onde se desenha a linha do livre arbítrio nesse caso? Standoff poderia ter oferecido um olhar interessante sobre a questão, mas o máximo que fizeram foi colocar uma fala da Emily questionando para Matt a natureza do casamento dos Keenan.
Como eu disse, em Lie to Me, Standoff volta a ser sensacional. Aliás, esse foi um dos melhores episódios de toda a temporada e se vocês não viram, então não percam as reprises da FOX essa semana. Um garotinho é raptado de um parque debaixo do nariz do pai, e uma foto dele é mandada para um canal de TV com uma placa que diz “Emily Lehman fez isso”. Emily não conhece o garoto e não consegue descobrir quem está fazendo isso com ela, apenas que é uma pessoa que alega que ela mentiu para ele(a). O seqüestrador é esperto e consegue deixar Emily à beira do desespero.
Esse episódio foi bem revelador sobre Emily, seu passado e sua família. Rosemarie DeWitt brilhou praticamente sozinha; a maneira contida como ela atua me agrada bastante. Ao mesmo tempo a relação entre a negociadora e Matt reapareceu. Na primeira cena dos dois, Emily e Matt estão contando, cada um, um segredo. O grande segredo de Emily talvez não fosse o amor dela pelo Matt, mas talvez essa fosse mesmo a confissão mais difícil que ela tivesse que fazer para si mesma. Da mesma forma, acho que ela não tentava esconder o passado apenas de Flannery e do FBI, mas de si mesma, o que é mais uma boa explicação para o episódio chamar-se Lie to me.
O seqüestrador era um suicida que Emily tinha convencido a não pular de um prédio. Ele era um pederasta e por isso foi para a cadeia e foi rejeitado por todo mundo ao desistir da morte, o quê o deixou irado com Emily. Eu acho que cada pessoa pode ter a sua verdade. O suicida pode achar que o melhor era ter tirado a própria vida, porque assim ele estava fazendo um favor à sociedade e Emily pode achar que o castigo em vida era o que ele merecia, que a morte era muito fácil em face dos crimes que ele cometeu, e nenhum dos dois precisa estar necessariamente errado. Eu, particularmente, nem consigo escolher uma posição.

Standoff Rosemarie DeWitt Ron Linvingston

Além disso, cada momento também tem a sua verdade apropriada. Uma verdade que deixa de nos servir com o passar do tempo, não é necessariamente uma mentira. A mentira realmente pode ser algo perigoso, dependendo de como usada e com quem usada, mas acho que a verdade é muito mais poderosa, tanto para construir, quanto para destruir. E embora o próprio Matt assuma mentir de vez em quando, o trabalho dos negociadores é encontrar essa verdade tão poderosa que é capaz de derrubar seus oponentes das convicções deles. O problema é que, às vezes, algum seqüestrador consegue encontrar uma verdade do negociador que seja tão poderosa, que seja capaz de abalá-lo. Que bom que pelo menos a Em, que eu tanto adoro, tem a fofura que é o Matt e o romance adorável deles. Na vida real, é bom quando agente tem alguém com quem possamos dividir as verdades, mesmo quando elas são feias e devastadoras.

Standoff Rosemarie DeWitt Ron Linvingston

Desde que eu escrevi aquele primeiro post sobre Standoff, a série apenas cresceu no meu conceito. Aliás, ela me fez odiar o público americano profundamente pela segunda vez esse ano (a primeira foi por causa de Studio 60).
Quem já assistiu Standoff e não acha que Matt e Emily são o casal mais adorável do planeta? E quem não acha que Cheryl é a chefe mais cool que alguém já viu? Além disso tem os caras da Swat, que dá até pra acreditar que são mesmo da Swat, e que são mesmo seres humanos, ao invés daqueles bonecos robotizados que aparecem nos filmes. A principal razão pela qual eu sou apaixonada por Standoff, é que se pode acreditar que aquelas pessoas são reais.
No último episódio exibido pela raposa, No Strings, Matt e Emily enfrentavam um dilema pessoal. Emily havia sido aceita em um programa do FBI que a levaria a Virgínia por um ano, e como o Estado onde fica Quântico, a famosa sede do FBI, é extremamente longe da ensolarada Califórnia, o romance dos negociadores prometia não sobreviver. Emily queria que Matt pedisse pra ela ficar, mas Matt insistiu que ela aceitasse o trabalho. Matt e Emily as vezes são meio passivo-agressivos, e quando não conseguem se entender no amor, isso afeta a sincronia deles no trabalho.
Foi graças a seu próprio problema de sincronia que eles descobriram o que estava se passando no caso da semana. O caso até foi meio clichê, mas eu não posso mentir e dizer que eu não descobri até o último minuto também. Não dá pra imaginar Emily largando a vida emocionante que ela leva, deixando de salvar pessoas e viver a adrenalina da negociação e ficar sentada analisando casos passados e discutindo protocolos. Ainda bem que no final ela se dá conta disso e ao pressionar Matt pra pedir que ela fique, acaba recebendo um “Eu te amo”. Não que Matt já não o tivesse praticamente dito em Boderline. De qualquer forma, Standoff já virou minha dramédia romântica processual favorita. Malditos americanos…

Standoff Rosemarie DeWitt Ron Linvingston

Tá, eu sei que a série tá passando na FOX há não sei quanto tempo, mas eu fui uma das pessoas que parou de assistir a Raposa depois que todo o conteúdo passou a ser dublado. Então Domingo eu estava passando pelos canais e caí numa reprise da série. Minha Tv a Cabo fica sempre com o idioma em inglês e eu parei pra dar uma olhada, não querendo voltar atrás com a FOX, mas eu estava muito entediada. E achei a série tão legalzinha, que baixei o piloto. E bom, adorei. Não tem nada de novo, aliás parece até um primo menos favorecido de… a sei lá, uma série qualquer sobre o assunto, tenho certeza que já vi algo do tipo antes. Mas eu gosto do gênero (fã incondicional de CSI, Without a Trace, Criminal Minds e todas as derivações, franquias e imitações descaradas) e Standoff tem o principal para uma série sobreviver na minha concorrida lista: dois protagonistas com quem empatizei. Aliás, amei Matt e Emily de cara. E agora é mais uma pra eu tentar acompanhar. Isso nem é ruim, afinal a greve tá aí, é melhor eu achar algumas coisas pra me ocupar, senão a abstinência de Pushing Daisies, Dirty Sexy Money e CSI vai ser sofrida. Infelizmente, a TV a Cabo sozinha e as muitas coisas que eu deixei pra ver nela não devem dar conta do recado. Eu precisava de um novo casal pra amar, porquê Harriet e Matt (Studio 60) se foram e Ned e Chuck estão ameaçados de hiato devido à paralisação nos States. E acho que Emily e Matt pode ser esse casal. E vocês? Já viram? Gostaram? Não viram ainda? Por quê?


Categorias

Comentários

luiz augusto em The Day of the Triffids
karina em Much I Do About Nothing…
andreia em Eles estão voltando…

Blog Stats

  • 197.309 hits

Todas as atualizações do seu blog favorito

Me Adicione no Technorati

Add to Technorati Favorites