Séries Addict

Archive for the ‘Two and a Half Men’ Category

CSI: NY – 4×12 – Happily Never After

Quando eu era criança, meu livro favorito era Peter Pan e Wendy. E com todas as referências a esse clássico da literatura infanto-juvenil, esse episódio de CSI: NY não tinha como não me fisgar. Ao desenrolar-se, o caso mostra um grupo de pessoas que assim como Peter querem preservar-se crianças, mas para isso fazem uso de uma droga poderosa e organizam festas em salas invadidas de Jardins da Infância. Esse foi um jeito bem original e contemporâneo de recriar o conto. Mas é também irônico, sem mencionar que existe uma certa crueza em colocar o acordar para a realidade adulta, representada pelo amor entre os dois protagonistas na estória inglesa, com o despertar da vítima, após o efeito da droga passar, durante um estupro. No outro caso da noite, o da rica empresária que aparece morta no meio à falsa neve em seu hotel, a questão da autoria do crime foi resolvida de maneira fraca, mas a maneira como ela foi morta foi interessante. Eu adoro os simbolismos nos roteiros de CSI, e esse foi mais um deles, com a vítima que era considerada uma Rainha de Gelo, por sua frieza e maldade no trato com seus empregados, morrendo de “coração congelado”.

Two and a Half Men – 5×13 – The Soil is Moist

Só eu estou com a impressão de que Two and a Half Men está esgotando-se em sua fórmula. The Soil is Moist foi como qualquer outro episódio da série, porém um pouco mais cansativo pela própria razão de ter sido sentido por min como repetitivo. As inseguranças de Alan às vezes parecem evoluir e então, em episódios como este, regredir. E precisam dar Charlie alguma coisa para fazer no episódio além de comentar com humor negro tudo o que se passa com Alan. Charlie Sheen é melhor do que isso. John Gryer também.

Men In Trees – 2×14 – Get a Life

Eu acho que Men In Trees está indo pelo mesmo caminho de Two and a Half Men. Nós já vimos as dificuldades de Marin de se adaptar de uma vida isolada e quieta, e que em nada se parece com a badalada New York. A essa altura, é difícil acreditar que ela ainda esteja tão apegada à Big Apple. A loura precisa de novas estórias e James Tupper, seu colega de cena, precisa de noas expressões faciais. A trama de Sara e Eric foi clichêzinha, mas fofa. E de quebra o ator Nicholas Lea canta super bem. Os demais plots foram clichê e só.

Criminal Minds – 3×12 – 3rd Life

3rd Life foi provavelmente o melhor episódio dessa temporada de Criminal Minds e essa é uma grande realização considerando que esta está excelente, e teve episódios de nível altíssimo. A estória foi muito interessante e aquele fim foi tão inovador que me deixou surpresa e ao mesmo tempo satisfeitíssima com os roteiristas. Outro acerto foi escalar adolescentes para interpretar adolescentes, o quê não é tão comum na TV e deu ainda mais veracidade ao drama, especialmente com a escalação de Hayley McFarland como Katie, que invocou toda uma aura de inocência e vulnerabilidade que tornou o crime do episódio ainda mais hediondo.

Without a Trace – 6×02 – Clean Up – 9 (MPV: Stefanie Black)

A série de Jack Malone e companhia deve ser a série a evitar as saídas mais fáceis com maior competência e sucesso entre todas as séries. Esse episódio, sobre um cara que fazia limpeza de cenas do crime e sua filha, terminou não sendo sobre o mundo do crime, mas sobre sua filha, que sofria por estar acima do peso. Bem escrito, dirigido e atuado, e tocante, como todo bom episódio de Without a Trace.

Cane – 1×02 – The Work of a Business Man – 5 (MPV: Polly Walker)

Eu continuei achando Cane uma série enfadonha. Tenho que dizer que ela simplesmente não é pra min. Não consegue me agradar de jeito nenhum e acho que nem Polly Walker pode salvar meu já falido relacionamento com a série. Isso significa que não a verei mais.

The Big Bang Theory – 1×02 – The Big Bran Hypothesis – 7,5 (MPV: Jim Parsons)

Digam o que quiserem, mas eu estou achando a série divertidinha. Da mesma maneira que Cane, ela não tem nada de especial, mas a meia hora que eu passo assistindo-a passa tão rápido e de maneira tão leve, que eu tenho porquê abandoná-la. Até porque, eu preciso de um prelúdio para Two and a Half Men.

Two and a Half Men – 5×02 – Media Room Slash Dungeon – 8 (MPV: Holland Taylor, Charlie Sheen, Jon Cryer)

Charlie decidindo que passar tempo com sua mãe foi original? Eu pergunto sinceramente porque tenho a impressão de que isso já aconteceu no show, mas não consigo me recordar. De qualquer maneira, os diálogos foram inspirados e divertidos e como se podia esperar Charlie não conseguiu mudar sua natureza, nem Evelyn. Mas nada superou Alan e sua namorada maluca. Ela ligando da cama para o psicólogo foi a melhor cena do episódio.

Californication – 1×02 – Hell-A Woman – 9,5 (MPV: Davind Duchovny)

Eu amo o Hank. Ele é quase um Charlie, numa versão mais séria e deprimida, só que eu acho que apesar da inconveniência e dos inúmeros defeitos o Hank possui uma lucidez tão grande. Provavelmente vai ser um daqueles personagens de série inesquecíveis. Duchovny está maravilhoso. É impossível não torcer por ele.

Ugly Betty – 1×02 – The Box and the Bunny – 9,5 (MPV: America Ferrera, Becki Newton, Michael Urie)

É, definitivamente estou apaixonada por Betty. Acho que nem tenho muito o que falar da série a não ser que ela é extremamente divertida, apesar de se valer de todos os exageros possíveis. Betty, Marc e Amanda são sensacionais, adoráveis e hilários. E a trama com coelhinho seqüestrado e livro roubado poderia ter sido brega, mas foi ótima.

Men In Trees – 2×02 – Chemical Reactions – 9 (MPV: Anne Heche, Abraham Benrubi)

A série tem mantido a qualidade, e esse episódio não foi diferente. O que eu mais gosto em Men é o roteiro sempre amarradinho em torno de um tema e as metáforas para relacionamento que eles criam. É realmente difícil conseguir algo novo pra escrever a cada semana, especialmente se o tema é o mesmo. Mas é claro que o elenco carismático ajuda a série a ser boa. O recém chegado a Elmo, Scott Erold, tem feito um excelente trabalho como Cash e é impossível não torcer pra ele ficar com Marin. A competição de quem cozinha melhor foi excelente porquê foi bom ver que os dois tem um lado muito jovial e outro bem maduro.

Cane – 1×01 – Piloto – 7

Cane ensaiou uma entrada nos temas políticos e econômicos atuais e numa disputa perigosa entre famílias, mas ambos foram apresentados de maneira morna. A série não me cativou e é difícil que eu continue a acompanhá-la.

Whitout a Trace – 6×01 – Lost Boy – 9

A nova temporada de Whitout a Trace começou muito bem, retomando o mistério dos seqüestros de garotas (que nem era tão misterioso assim) e seguindo o desaparecimento de um garotinho. Esse garotinho é um órfão africano que fora adotado por um casal de celebridades. Whitout a Trace toca em dois pontos bem atuais e até polêmico, mas ao não os aborda de maneira planfetária ou didática, mas de forma tocante. Por isso e pelos sempre ótimos atores, a série é uma das minhas favoritas. O destaque fica para Nelsan Ellis como Luol. Além disso parece que tratarão do tráfico de mulheres nessa temporada, e com suas abordagens que geralmente procuram evitar o clichê, Without me deixa ansiosa pra ver o bom trabalho que deve ser realizado.

The Big Bang Theory – 1×01 – Piloto – 7

Deu pra dar umas risadas, mas eu acho que não vai muito longe. O tema já está saturado e isso não ajuda. As situação não conseguem fugir do lugar comum e devem me cansar rapidamente.

Two and a Half Men – 5×01 – Large Birds, Spiders and Mom – 9

Eu adoro essa série. Faz dupla com Old Christine como as comédias não inteligentes que eu acho simplesmente hilárias. Foi um episódio legal sobre o medo, não muito profundo, mas pra min essa série nunca vai precisar ser profunda. Eu adoro as piadas e principalmente, adoro os atores.


Categorias

Comentários

luiz augusto em The Day of the Triffids
karina em Much I Do About Nothing…
andreia em Eles estão voltando…

Blog Stats

  • 207.314 hits

Todas as atualizações do seu blog favorito

Me Adicione no Technorati

Add to Technorati Favorites