Séries Addict

Archive for the ‘Without a Trace’ Category

Este texto contém spoilers para aquelesque não acompanham a exibição americana das séries comentadas.

Samantha Who – 1×12 – Butterflies – 8 (MVP: Christina Applegate, Jennifer Esposito, Rick Hoffman)
Exibição: 21 de Abril de 2008

Butterflies foi um episódio sobre controle, e por contiguidade, a falta dele. Tentar ser uma pessoa nova pode até ser difícil porquê é preciso descobrir quais coisas estão no seu controle ou não, mas mesmo quando não se está tentando mudar todos nós testamos a água para ver até onde podemos ir. O politicamente incorreto, tão presente na série, pode ser apenas um teste de limites. Grande parte das ações que tomamos, tomamos porquê podemos. E essa é uma das grandes graças de se viver.
O episódio não foi, como nunca é pra min, hilário. Mas foi divertido. Samantha Who tem ótimos diálogos e bons atores e é assim que se mantém acima da média. Por outro lado, as externas no terreno do shopping ficaram parecendo com cenas tecnicamente inferiores de Pushing Daisies. Na minha opinião, direção de arte e figurino são pontos fracos do show.

CSI Miami – 6×17 – To Kill a Predator – 8 (MVP: Stephanie Niznik)
Exibição: 21 de Abril de 2008

Horatio Caine está no caminho para se tornar o próximo Batman. Brincadeiras a parte talvez Horatio deva considerar uma identidade secreta se ele pretende continuar brincando de justiceiro. Quando em Rio ele matou o assassino de sua esposa, acho que quase ninguém se importou. No episódio passado, quando ele assassina um homem desarmado em All In (novamente na cidade maravilhosa), houve um certo burburinho de descontentamento nos fóruns dedicados a série. Mas aqui, com o final deixando implícito que Horatio está mesmo seguindo um padrão de fazer justiça com as próprias mãos, até eu fiquei preocupada. É essa a mensagem que CSI quer passar? Que Horatio pode fazer a justiça do aqui e agora? Irônico, quando nesse episódio eles pensavam estar perseguindo um vigilante e se mostravam demasiadamente preocupados em prendê-lo.

Gossip Girl – 1×14 – The Blair Bitch Project – 9,5 (MVP: Leighton Meester)
Exibição: 21 de Abril de 2008

GG voltou do longo hiatus mas manteve o ótimo ritmo que a série adquiriu depois do episódio 10. O drama teen parece ter encontrado sua personalidade. Apesar das tramas não serem exatamente novas, elas adquiriram uma cara própria. As excelentes adições de Hazel (Dreama Walker), Penelope (Amanda Detton) e Eloise (Emma Demar), ao invés de atrapalhar, deram ainda mais charme e conteúdo ao combate Jenny x Blair, que esquenta nesse episódio. No final, foi 2×1, com Jenny vencedora, provando que está disposta a ir bem longe pra manter o posto de popular. A união dos Van der Woodsen com os Bass provou-se muito melhor do que o esperado. Todas aquelas questões de família disfuncional que ficavam dispersas pelas várias famílias do show, aparentemente se concentram agora no luxuoso apartamento do New York Palace escolhido por Lily e Bart para Lar, Doce Lar. E se os dois são o casal menos que ideal, é bom vê-los atuando como dois lados diferenciados na educação dos três adolescentes, já que tirando breves participações de Alison e Harold, os jovens do Upper East Side parecem ser criados por pais solteiros, que representam um único juiz com uma só visão de mundo. E, como bônus, não se encaixam nos estereótipos de madrasta e padrasto, o que é sempre bom ver na TV. Ao invés de favorecem seus próprios filhos, eles são os primeiro a condená-los, o quê é engraçado, mas compreensível devido ao passado de Chuck e Serena.E no final abre-se a porta para a chegada de mais uma personagem. Quem não está ansioso pra conhecer G?

Desperate Housewives – 4×12 – In Buddy’s Eyes – 8,5 (MVP: Dana Delany)
Exibição: 20 de Abril de 2008

Desde o primeiro segundo de Dana Delany na tela já ficava claro que Katherine Mayfair e Bree disputavam um mesmo lugar. Por um bom tempo o embate entre as duas perfeccionistas ficou de lado, preterido pelos mistérios passados de Katherine, mas aqui a competição entre as duas ganha lugar novamente. A esperta Katherine consegue persuadir Bree de que apesar de invadir o espaço dela, ela também a entende melhor do que ninguém, podendo portanto ser grandes amigas. Outras competições, como a entre Rick e Tom, não são tão inofensivas que possam ser resolvidas em uma conversa.
Usando a metáfora da cegueira para amarrar as pontas no final, o saldo desse episódio foi muito bom. Com ele, Desperate vem mantendo uma certa qualidade bem alta desde o hiatus. Os mistérios de Katherine parecem estar se encaminhando a passos largos para um fim, Gaby está bem menos irritante agora que Victor morreu e ela é esposa de Carlos novamente, e as demais Housewives parecem ter voltado ao seu nicho de sempre. Só me pergunto, o quê aconteceu com o casal gay?

30 Rock – 2×13 – Succession – 9 (MVP: Will Arnett, Tina Fey, Alec Baldwin)
Exibição: 24 de Abril de 2008

30 Rock é provavelmente a série com a maior quantidade de quotes brilhantes por episódio no ar atualmente. É impossível não ficar impressionado com a qualidade do roteiro de Tina Fey. Além disso, sua Liz Lemon cresceu impressionantemente e está melhor do que nunca. É sempre ótimo vê-la discutindo com sua equipe e, melhor ainda, é vê-la grudada naquele pacote de Cheetos mexicanos, com cabelo desarrumado, quase nenhuma maquiagem e moletom. As mulheres na TV sempre aparecem tão embonecadas. Mas das mulheres imperfeitas das sitcoms, Liz é provavelmente a presidente honorária e eu a adoro por isso.
Banks voltou e Geiss finalmente tomou sua decisão a respeito de seu sucessor, mas nem por um minuto eu achei que seria tão fácil pra Jack. Melhor pra o público, que vai poder ter muito mais de Will Arnett (Banks).

Esses textos fazem parte da nova coluna do TeleSéries, onde foram originalmente publicados.

Without a Trace – 6×02 – Clean Up – 9 (MPV: Stefanie Black)

A série de Jack Malone e companhia deve ser a série a evitar as saídas mais fáceis com maior competência e sucesso entre todas as séries. Esse episódio, sobre um cara que fazia limpeza de cenas do crime e sua filha, terminou não sendo sobre o mundo do crime, mas sobre sua filha, que sofria por estar acima do peso. Bem escrito, dirigido e atuado, e tocante, como todo bom episódio de Without a Trace.

Cane – 1×02 – The Work of a Business Man – 5 (MPV: Polly Walker)

Eu continuei achando Cane uma série enfadonha. Tenho que dizer que ela simplesmente não é pra min. Não consegue me agradar de jeito nenhum e acho que nem Polly Walker pode salvar meu já falido relacionamento com a série. Isso significa que não a verei mais.

The Big Bang Theory – 1×02 – The Big Bran Hypothesis – 7,5 (MPV: Jim Parsons)

Digam o que quiserem, mas eu estou achando a série divertidinha. Da mesma maneira que Cane, ela não tem nada de especial, mas a meia hora que eu passo assistindo-a passa tão rápido e de maneira tão leve, que eu tenho porquê abandoná-la. Até porque, eu preciso de um prelúdio para Two and a Half Men.

Two and a Half Men – 5×02 – Media Room Slash Dungeon – 8 (MPV: Holland Taylor, Charlie Sheen, Jon Cryer)

Charlie decidindo que passar tempo com sua mãe foi original? Eu pergunto sinceramente porque tenho a impressão de que isso já aconteceu no show, mas não consigo me recordar. De qualquer maneira, os diálogos foram inspirados e divertidos e como se podia esperar Charlie não conseguiu mudar sua natureza, nem Evelyn. Mas nada superou Alan e sua namorada maluca. Ela ligando da cama para o psicólogo foi a melhor cena do episódio.

Californication – 1×02 – Hell-A Woman – 9,5 (MPV: Davind Duchovny)

Eu amo o Hank. Ele é quase um Charlie, numa versão mais séria e deprimida, só que eu acho que apesar da inconveniência e dos inúmeros defeitos o Hank possui uma lucidez tão grande. Provavelmente vai ser um daqueles personagens de série inesquecíveis. Duchovny está maravilhoso. É impossível não torcer por ele.

Ugly Betty – 1×02 – The Box and the Bunny – 9,5 (MPV: America Ferrera, Becki Newton, Michael Urie)

É, definitivamente estou apaixonada por Betty. Acho que nem tenho muito o que falar da série a não ser que ela é extremamente divertida, apesar de se valer de todos os exageros possíveis. Betty, Marc e Amanda são sensacionais, adoráveis e hilários. E a trama com coelhinho seqüestrado e livro roubado poderia ter sido brega, mas foi ótima.

Men In Trees – 2×02 – Chemical Reactions – 9 (MPV: Anne Heche, Abraham Benrubi)

A série tem mantido a qualidade, e esse episódio não foi diferente. O que eu mais gosto em Men é o roteiro sempre amarradinho em torno de um tema e as metáforas para relacionamento que eles criam. É realmente difícil conseguir algo novo pra escrever a cada semana, especialmente se o tema é o mesmo. Mas é claro que o elenco carismático ajuda a série a ser boa. O recém chegado a Elmo, Scott Erold, tem feito um excelente trabalho como Cash e é impossível não torcer pra ele ficar com Marin. A competição de quem cozinha melhor foi excelente porquê foi bom ver que os dois tem um lado muito jovial e outro bem maduro.

Cane – 1×01 – Piloto – 7

Cane ensaiou uma entrada nos temas políticos e econômicos atuais e numa disputa perigosa entre famílias, mas ambos foram apresentados de maneira morna. A série não me cativou e é difícil que eu continue a acompanhá-la.

Whitout a Trace – 6×01 – Lost Boy – 9

A nova temporada de Whitout a Trace começou muito bem, retomando o mistério dos seqüestros de garotas (que nem era tão misterioso assim) e seguindo o desaparecimento de um garotinho. Esse garotinho é um órfão africano que fora adotado por um casal de celebridades. Whitout a Trace toca em dois pontos bem atuais e até polêmico, mas ao não os aborda de maneira planfetária ou didática, mas de forma tocante. Por isso e pelos sempre ótimos atores, a série é uma das minhas favoritas. O destaque fica para Nelsan Ellis como Luol. Além disso parece que tratarão do tráfico de mulheres nessa temporada, e com suas abordagens que geralmente procuram evitar o clichê, Without me deixa ansiosa pra ver o bom trabalho que deve ser realizado.

The Big Bang Theory – 1×01 – Piloto – 7

Deu pra dar umas risadas, mas eu acho que não vai muito longe. O tema já está saturado e isso não ajuda. As situação não conseguem fugir do lugar comum e devem me cansar rapidamente.

Two and a Half Men – 5×01 – Large Birds, Spiders and Mom – 9

Eu adoro essa série. Faz dupla com Old Christine como as comédias não inteligentes que eu acho simplesmente hilárias. Foi um episódio legal sobre o medo, não muito profundo, mas pra min essa série nunca vai precisar ser profunda. Eu adoro as piadas e principalmente, adoro os atores.


Categorias

Comentários

luiz augusto em The Day of the Triffids
karina em Much I Do About Nothing…
andreia em Eles estão voltando…

Blog Stats

  • 204.261 hits

Todas as atualizações do seu blog favorito

Me Adicione no Technorati

Add to Technorati Favorites