Séries Addict

Posts Tagged ‘Julia McNamara

Grey’s Anatomy: Sympathy for the Devil (5×12)
Exibição: 15/1/2009
MVP: Eric Stoltz e Jessica Capshaw

A visita inesperada da mãe de Derek nem de longe foi tão notável quanto à visita de sua irmã Nancy (Let the Angels Commit), mas foi uma boa participação que serviu para os roteiristas selarem de vez o compromisso de Meredith e Derek e de Sloan e Lexie.

Eu honestamente temi que Mer e McDreamy pudessem ter mais uma de suas separações devido ao seu desentendimento em como lidar com o paciente deles, William, que é um serial killer. William, interpretado por Eric Stoltz, não chamou muito a minha atenção no episódio passado, mas, aqui, ele foi o melhor de tudo, e sua cena final me deixou agarrada a poltrona.

A volta de Grey’s do hiato está indo muito bem, na minha opinião. Até agora tivemos dois episódios que se completaram, com tramas excelentes (melhores aqui do que Wish You Were Here), um ritmo de direção muito acertado e diálogos inspirados. Eu tenho adorado tudo que diz respeito a Sloan e Callie, aprovei totalmente a chegada de Jessica Capshaw como a pediatra Arizona Robbins, achei que a relação entre Owen e Christina está finalmente evoluindo e até a presença de Denny “fantasma” Duquette me irritou menos.

A única coisa que eu desaprovo totalmente é a briga e birra infantil de Christina e Meredith, que, como recurso narrativo, até agora se mostrou inútil.

Nip/Tuck: Gene Shelly (5×16)
Exibição: 13/1/2009
MVP: Dylan Walsh e Julian McMahon

Nip/Tuck é uma série peculiar, até mesmo bizarra ocasionalmente. Ryan Murphy não tem medo de explorar as esquisitices e o lado negro (porém cômico) de seus personagens. Às vezes eu acho que ele passa da conta – até hoje não consegui ver um episódio inteiro sequer da quarta temporada – e, às vezes, eu o considero simplesmente um gênio. Nessa quinta temporada a série tem me agradado e muito.

Adorei esse episódio e como eles exploraram a questão do câncer de mama de Christian. Ainda estou me decidindo qual foi a melhor cena, mas Liz e ele dormindo juntos certamente merece destaque.

É claro que nada supera Christian manipulando Sean de maneira perfeita para que o melhor amigo assumisse que pode andar e saísse da cadeira de rodas, ainda que eu prefira a idéia do Matt de jogar a cadeira no oceano e ver o quão bem as pernas dele estão.

Julia ainda está meio apagada, mas ficamos sabendo que ela ainda mora com Olivia e não se recorda que a filha da amante tentou matá-la duas vezes. Além disso, o novo médico Raj, o estudante gênio de Sean, tem estado muito bem e tem sido um ótimo alívio cômico. Adhir Kalyan foi uma ótima adição ao elenco.

Texto publicado previamente no site TeleSéries.

Eu tenho uma relação de amor e ódio com Nip/Tuck. Tem horas que eu acho toda a bizarrice da série simplesmente brilhante, hilária, refrescante. Tem horas que eu simplesmente quero jogar a Tv escada abaixo. Eu considero sua segunda temporada uma das coisas mais fantásticas já feitas na Tv e sua quarta temporada uma das coisas mais insuportáveis.
Mas eu sempre dou uma nova chance ao Ryan Murphy, e eu adoro Sean, Christian e Julia, então voltei a ver Nip/Tuck nessa quinta temporada e não me arrependi. Ronnie Chase, a volta de um longo hiato após a paralisação com a greve dos roteiristas, começa justamente mostrando a sequência onde Sean é esfaqueado por sua louca ex-empresária, mas de outro ponto de vista. Assim vemos angustiados ela quase esfaquear Liz, e passar direto por um Christian distraído. E depois que esfaqueia o Sean, Colleen se arrepende. Isso dá a Sean a oportunidade de matá-la, sendo salvo em seguida por Christian.
A série pula então quatro meses no futuro e descobrimos que Sean, paralítico, praticamente abandonou a carreira e foi lecionar. Adorei ele como professor, é interessante como o discurso dele consegue tornar cirurgia plástica, algo considerado tão superficial e fútil, em um assunto fascinante e digno da ambição de tantos jovens brilhantes, como o divertidíssimo Dr. Raj Paresh, de apenas 17 anos. Espero Adhir Kalyan se torne um convidado regular. Além dele a outra aluna que se destacou foi Daphne Pendell, interpretada por Jaime Ray Newman, que ao que tudo parece pode ser o novo interesse romântico de Sean.
Enquanto isso, Christian acompanha Liz ao médico depois que encontra um caroço no seio dela, e enquanto ela parece estar perfeitamente bem, ele descobre ter câncer de mama. Taí algo que agente só veria em Nip/Tuck. Obviamente a situação deixou Christian cheio de inseguranças e os escritores usaram isso para explorar mais a amizade entre ele e Liz. A sotryline também rendeu uma cena hilária em Christian tenta fazer um exame de mama na menina com quem está transando. E enquanto isso, em outra cena que agente também só vê em Nip/Tuck, Sean fazia sexo na cadeira de rodas com uma garçonete.
Além dos dois e de Liz o único personagem regular a aparecer foi Matt. Ele parece estar tentando dar um rumo a sua vida, freqüentando a faculdade para tentar se tornar médico e aparentemente também terminou o relacionamento com sua meia-irmã Emme. E através dele ficamos sabendo que Julia descobriu que Sean mentiu sobre ainda serem casados e não fala mais com ele (eu sabia que isso não ia terminar bem para o lado dele). Mas aparentemente a ex-mulher tê-lo exilado da vida dela (novamente) não lhe ensinou nada sobre mentiras, porquê ele está escondendo de todo mundo que pode andar. Do quê ele tem tanto medo? A perspectiva de voltar a ser cirurgião é tão ruim assim, ou o problema é outro? Pronto, estou fisgada por Nip/Tuck de novo.


Categorias

Comentários

luiz augusto em The Day of the Triffids
karina em Much I Do About Nothing…
andreia em Eles estão voltando…

Blog Stats

  • 200.456 hits

Todas as atualizações do seu blog favorito

Me Adicione no Technorati

Add to Technorati Favorites