Séries Addict

Posts Tagged ‘Kyle MacLachlan

Se o beijo entre Teri Hatcher e Swoosie Kurtz era para ser o destaque do episódio, então Marc Cherry realmente não sabe mais o quê funciona em sua série. É claro que, apesar da música I Kissed a Girl no promo ser muito provavelmente uma referência ao selinho que Susan recebe da chefe, o roteirista do episódio Jordon Nardino deveria querer mesmo é pontuar com os beijos trocados entre Hatcher e Eva Longoria. Bom, eu sei que eu não sou exatamente o público alvo desse tipo coisa, mas não funcionou.
Contudo, a trama de Susan não foi um desperdício total. Eu adorei finalmente vê-la na escola. Ela parece competente o suficiente, sem deixar de ser Susan. E isso é um grande feito considerando o quanto eles podem errar escrevendo a Susan às vezes. A participação de Kurtz também foi ótima. Eu a amava em Pushing Daisies e chorei horrores por causa dela em Huff, então sou fã declarada e totalmente imparcial.
O grande destaque foi a evolução efetiva dos planos de Dave, que sai para acampar com Mike e Katherine no final desse episódio. Eu já sabia que isso iria ocorrer (malditos spoilers), mas ainda assim tivemos muitas boas cenas aqui. Dave se prova mais uma vez um grande manipulador e consegue persuadir Katherine a ir na viagem da qual ela já havia desistido, além de apaziguar Edie que finalmente descobre sobre Paige. Aliás, a cena entre os dois foi a mais tocante de todo o episódio, graças, em grande parte, a Nicollette Sheridan.
O resto não foi tão empolgante, mas o roteiro estava redondinho e as atuações convenceram. É sempre ótimo ver Felicity Huffman e Eva Longoria interagindo, pena que não tenha rendido mais. Outra trama que também não está rendendo tanto quanto poderia é a de Orson e Bree. Ele está roubando dos vizinhos, mas até agora estão tratando isso como uma piada. E não é que eles não devam fazer humor com a situação, mas onde está a graça? E ao mesmo tempo a storyline não tem densidade o suficiente para ser levada a sério dramaticamente. Assim, os talentosos Kyle MacLachlan e Marcia Cross ficam presos em um limbo, que não lhes permite uma abordagem mais cômica ou mais trágica, e nós telespectadores não conseguimos nos conectar. Ou alguém está realmente se importanto com as consequências dessa trama? Uma coisa é certa, a Bree realmente não sabe escolher homens. A Susan também não consegue manter um relacionamento, e eles tendem a ser mais fúteis, mas pelo menos Mike e Jackson eram homens decentes.

Anúncios

No meu review de “A Vision’s Just a Vision” eu havia dito que se o Dave fosse atrás da Susan para se vingar de Mike, e depois de seja lá o quê Dave fosse fazer os dois se dessem conta que ainda se amavam e que deveriam ficar juntos para todo sempre, eu abandonaria a série. Ao contrário do Maurício, eu gosto do Mike e acho que quem o torna um personagem chato às vezes é Susan. É verdade que os roteiristas precisam escrever o relacionamento dele com a Katherine melhor do quê eles fizeram aqui (os dois merecem mais tempo de tela, especialmente quando a Teri Hatcher tem uma aparição tão grande, que poderia muito bem ser podada). Mas também é verdade que ver o Mike dizendo que acabou tudo com a Susan (yeeeee) e que acaba de se dar conta que está apaixonado pela Katherine (yeeeee) foi um dos pontos altos dessa temporada para mim. Suspirei de alívio e tudo. E Dave estava ali, bem do lado, e obviamente já mudou o alvo de suas loucuras. E isso é bom também porquê eu sempre acho que a talentosa Dana Delany tem tido muito pouco a fazer nessa temporada. Ela poderia estar indo tão bem quanto Longoria se tivesse uma participação decente. E, honestamente, apesar de adorar os dois juntos, Mike e Katherine ainda não convenceram completamente como casal.
Connect! Connect! não foi um episódio que teve muita ação, mas ao mesmo tempo foi um episódio em que muita coisa mudou. E o motivo foi o fato de que as personagens tiveram que ter algum tipo de mudança. Foi tudo mais atrelado ao psicológico e emocional de todo mundo, a tomada de decisões de cada um.
Tivemos Bree que como sempre tem um storyline simples, mas sensacional. De um pequeno comentário que Alex, seu genro fez, surgiu quase uma guerra com a ruiva. Adoro como cada coisinha faz a Bree se inflar de raiva que ninguém um balão e depois ela fica totalmente passivo-agressiva. Marcia Cross sempre dá o tom certo e fica hilária. No fim, ela admitiu que tem estado mais impaciente, mais rude, e eu sempre fico feliz em ver a personagem admitir suas faltas e tentar se comportar melhor, mas eu espero que ela não deixe de implicar com Orson totalmente, porquê eu adoro a maneira como o relacionamento dos dois é conduzido.
Eu ainda acho que Susan deveria ter seu tempo de tela cortado pela metade, mas até que a trama dela essa semana não foi ruim. O segredo é colocá-la com personagens melhores e que consigam segurar o lado cômico da trama, como Lee e Edie. E a química de Nicollette Sheridan com Teri Hatcher é inegável, acho até que deveriam baixar um decreto de que as duas só farão cenas juntas. Assim, Susan faz o quê todo mundo já sabia que ela faria (alguém apostou em Hatcher deixando a série?), dispensou Jackson e ficou sozinha em Wisteria Lane. E Edie aceitou seu marido de volta. Eu só espero que eles não enrolem muito com a vingança. Eu sei que provavelmente só acontecerá uma resolução na season finale, mas a longa espera é uma chatice quando nós já sabemos o que esperar. Podiam fazer um longo arco, com os planos de Dave tomando ação durante quatro ou cinco episódios ao invés de um ou dois.
Lynette finalmente conseguiu seu filho de volta. Adorei a armação dela para fazer com que sua mãe entregasse Porter. Eu sempre adorei as participações da família de Lynette. Certamente são todas mulheres complicadas e de temperamento forte. A atriz Polly Bergen representou muito bem o quanto a mãe de Lynette, Stella se ressentia da filha e tinha se tornado amarga por ter sido deixada no asilo. Só achei que a bagunça na qual os Scavos se meteram foi resolvida com muita facilidade.
Por fim houve o núcleo dos Solis, que não empolgou e não acrescentou em nada. Só mostraram mais sobre como as filhas de Gaby são impossíveis e como ela ainda é muito insegura como mãe. Eva Longoria esteve bem como sempre vem estando durante toda a temporada, mas não achei que ela teve nenhuma cena de destaque (e não foi culpa dela).


Categorias

Comentários

luiz augusto em The Day of the Triffids
karina em Much I Do About Nothing…
andreia em Eles estão voltando…

Blog Stats

  • 185,297 hits

Todas as atualizações do seu blog favorito

Me Adicione no Technorati

Add to Technorati Favorites
Anúncios