Séries Addict

Posts Tagged ‘Naomi Bennett

Após assistir esse crossover, eu fiquei pensando que ao invés da série que se passa em Los Angeles, Shonda Rhimes deveria ter feito um spin-off sobre a vida de Addison. Não é apenas porquê eu amo a personagem, mas porquê toda vez que suas histórias do passado vem à superfície, eu fico encantada. Eu realmente queria ver sua vida crescendo na milionária família Forbes Montgomery, seus primeiros anos como pupila do Chief, a deterioração de seu casamento com Derek e seu envolvimento com Mark, mas acima de tudo, eu queria ver seus tempos de faculdade. Porquê depois de assistir Derek, Mark, Archer, Sam, Naomi e Addie juntos, com o toda o clima de intimidade e camaragem que existe ali, suas piadas, brigas e afeto um pelo outro, é impossível não querer mergulhar de cabeça na vida passada deles e ver em primeira mão como eles se tornaram o quê são.
A química do grupo foi o principal ingrediente de sucesso desse crossover. E exatamente como eu imaginei a presença de Addison e seus amigos produziu um dos melhores episódios da temporada. O caso de Archer, sendo ainda mais delicado do quê parecia inicialmente, aumentou a tensão ao ponto de eu mal conseguir respirar, especialmente na cena da cirurgia. E a atuação maravilhosa de Kate Walsh foi um fator de peso. Ela manifestou de maneira sublime todo o desespero e impotência que sua personagem estava sentindo, sua fé e esperança, seu desconforto em relação a Meredith ficar escutando a música que Derek compôs para ela quando eles se casaram e seu carinho discreto pelas pessoas que ela deixou para trás no Seattle Grace.
A direção do experimente Daniel Attias se provou exata, mesclando muito bem drama e comédia, e dividindo bem o tempo de tela da trama do crossover com as tramas paralelas dando o ritmo adequado a cada uma delas. A competição que Izzie organizou foi leve e divertida. E foi a maneira encontrada para nos mostrar o quão incompetente era Sadie e justificar sua saída da série. Apesar de ser uma coisa nova e repentina (ela sempre pareceu louca, mas só na semana passada começou a dar sinais claros de não saber o quê estava fazendo), para mim não fez diferença já que eu nunca cheguei a me interessar pela personagem.
Também descobrimos quem é a mulher que causou o ataque de pânico de Owen no hospital no episódio passado. Apesar de eu ter torcido para Yang ganhar uma trama, essa não me agrada. É praticamente uma reprise do quê aconteceu com Meredith e Derek, com Addison chegando repentinamente ao hospital no fim da primeira temporada. O término do relacionamento por email foi muito mais interessante quando Aaron Sorkin usou o recurso em Studio 60 (foi a maneira que Matt terminou com Harriet). E apesar de Kevin McKidd ser ótimo, eu não vejo química entre Sandra Oh e ele.

O resto dos personagens ou gravitaram em torno de Addison, ou em torno da competição. George continua a aparecer pouco; já Callie apesar de também só figurar em cena por alguns minutos, é sempre divertida e interessante. Sara Ramirez é uma ótima atriz e eu entendo o porquê dela ter ficado um pouco de lado e só a cena na capela com Addie já é suficiente para eu perdoar os escritores. Miranda fica amiga de Sam, e os dois fazem uma ótima dupla. Karev teve um momento terno com Addison, mas eu ainda quero vê-la responder a ele se está de fato feliz.
Na segunda parte do crossover, Archer está bem (apesar dele discordar e continuar causando comoção), então todas as atenções se voltam para Jen Harmon, a grávida com o aneurisma. A cirurgia que Derek faz tem complicações e Addison e ele se juntam para tentar salvar ela e o bebê. É claro que há farpas e brigas, em grande parte devido ao fato de Mark ter contado a Addison sobre o anel da mãe de Derek que ela nunca ganhou, mas que Meredith ganhará. Então os bons momentos são deixados um pouco de lado e os ressentimentos subiram à superfície. Mas eu tenho fé que ambos vão salvar a vida da paciente e do bebê no final, e que eles se entenderão e farão as pazes antes de Addison partir.
Em Los Angeles, Cooper, Violet e Pete tem que lidar com uma mãe com psicose pós-parto. A trama é até interessante, e foi muito bem escrita. Os atores estavam muito bem e eu fiquei interessada. Mas toda vez que o episódio ia para a Califórnia, eu ficava torcendo para retornarem para Seattle logo. E quando acabou, eu imediatamente amaldiçoei quinta-feira por estar tão longe. Acho que até lá, meus nervos estarão em frangalhos. E isso é um feito impressionante, pois há anos eu não fico ansiosa assim por um episódio de Grey’s.


Categorias

Comentários

luiz augusto em The Day of the Triffids
karina em Much I Do About Nothing…
andreia em Eles estão voltando…

Blog Stats

  • 202.625 hits

Todas as atualizações do seu blog favorito

Me Adicione no Technorati

Add to Technorati Favorites